Imagem capa - Tripé ou suporte para esticar a manta no puff pra sessão newborn? por Bel Ferreira
Para o fotógrafo

Tripé ou suporte para esticar a manta no puff pra sessão newborn?


A fotografia newborn abre portas para infinitas possibilidades de equipamentos e acessórios. Neste post quero falar especificamente sobre o acessório usado para esticar a manta no cenário onde o bebê é fotografado. A primeira coisa que você precisa saber é que não existe certo ou errado nessa escolha, e sim o que serve melhor para o que você procura como resultado final.

Tanto o tripé quanto o suporte têm a mesma função, mas o resultado que cada um proporciona é um pouco diferente. Quando você usa o tripé, a manta não fica 100% esticada, e você precisará de alguns apoios. No caso de escolher o suporte, independente do formato dele, você tem terá todas as pontas da manta presas.

PASSO A PASSO COM O TRIPÉ





Organize e posicione o seu puff da mesma forma que você sempre faz. Lembre-se que o tripé não pode ficar muito mais alto que o puff, apenas um pouco mais, pois se estiver.

muito alto a manta vai ficar como um fundo infinito e você perderá profundidade na foto. Puxe e estique a manta base e a manta principal, formando uma rampa e não uma marca em “L”.


E como faz com as laterais? Se a barra do seu tripé é menor e acaba no mesmo limite que o puff, prenda as laterais da manta na barra do tripé. Se esse nao é o caso, você vai precisar apoiar a mantar em alguma outra coisa para que ela não fique caída, ou ter uma pessoa segurando e esticando o tecido.



O problema de usar o tripé, é que você sempre terá uma parte da manta sem esticar, e precisará encontrar uma forma ou alguém que te ajude a finalizar esse processo. Além disso, se você estiver usando luz natural e precisar mexer no puff para ajustar a cena de acordo com a iluminação, o tecido preso ao tripé se move junto, formando rugas e elevações na manta, como na foto. Ou você move o tripé junto, ou refaz o processo para esticar a manta.

A vantagem de usar o tripé está no seu bolso. 

Quando você compra um kit de tripé com a barra você gastará em torno de 300 reais, quase 5 vezes menos do que o suporte. Se você não está em condições de um grande investimento, o suporte quebra um grande galho e é muito possível de se trabalhar.

PASSO A PASSO COM O SUPORTE



No meu estúdio utilizo o suporte circular. A base do puff é sempre a mesma, mas na hora de colocar a manta base e a manta principal eu estico elas por cima do suporte. Depois de esticar a manta, prendo com dois grampos na parte de cima e depois vou para a parte de baixo, estico bem e prendo antes de prender as laterais.



Se eu prender os grampos de cima para baixo, quando eu chegar na outra ponta do circulo o tecido vai ficar todo junto e amassado, e essa é bem a parte que aparece na foto, por isso faço o processo contrário. Outra dica é não puxar demais o decido, porque se você esticar ele o máximo possível você perde elasticidade e o bebê vai ficar sambando na manta ao invés de se acomodar nela.




Lembra daquele problema com a iluminação? 

Se você usa o suporte ao invés do tripé, mover o puff não será um problema, você conseguirá fazer isso sem afetar em nada a manta e todo o cenário que você preparou. Essa é a maior vantagem dele. Além disso, você consegue prender todas as pontas sem nenhum esforço. O suporte também permite que você trabalhe sentado, o que ajuda na postura e evita grandes desgastes físicos, o que pode ser considerado como uma vantagem também. Como falei no passo a passo do tripé, ele custa 5 vezes mais, em torno de 1500 reais. Se você pode pagar por isso, você não se arrependerá.

Se você vai usar suporte ou tripé para deixar a sua manta esticada, isso é uma escolha sua, que tem que caber na sua forma de trabalho e no seu limite de investimento. Mas agora que você tem todas as informações na sua mão, fica mais fácil decidir, não é? Lembre-se de observar os prós e contras e fazer a escolha mais assertiva para o seu negócio.


Você também pode ver o nosso vídeo no canal do YOUTUBE CLICANDO AQUI