Imagem capa - Ser mãe de bebê prematuro é... por Bel Ferreira
Para as mamães

Ser mãe de bebê prematuro é...

Hoje, dia 01/01/2017 deveria ser um dia de descanso já que não estou no estúdio, mas acontece que eu não consigo ficar parada, e estou aqui com meu notebook fazendo algumas pesquisas.

Entre esse vai e vem de links e sites tem sempre uma escapadinha para o facebook e numa dessas eu me deparei com um texto incrível de autor desconhecido que a mamãe Suellen Cruz publicou no grupo Baby Boom Friends sobre o bebê prematuro... Agora me dá um tempinho que caiu um cisco no meu olho, vou ali limpar e já volto.

Em nosso estúdio, sempre ouvimos muitas histórias de vida desses pequenos guerreiros que vem ao mundo e nos ensinam tanto, fizemos ensaios de newborn de vários bebês prematuros com lindas histórias, mas hoje, eu gostaria de compartilhar esse texto com as mamães de plantão ♡ 








Preparem os lenços...


"SER MÃE DE PREMATURO é ser pega pela surpresa e o despreparo.
É não segurar seu filho nos braços quando nasce. É olhar pela incubadora. É sentir sua cria pela ponta dos dedos esterilizados em álcool gel.
Ser mãe de Prematuro é ser viciada no monitor. E ver seu filho respirando por aparelhos com sensores medindo o que há de vida na sua criança. São os benditos 88% de saturação.
É tirar leite na máquina. É ver o leite entrando pela sonda. E torcer para a quantidade aumentar todo dia.
É ter paranoia com o processo ganha/perde de peso diário. Num dia ganha 10 gramas e no seguinte perde 15. Isso é um desespero.
É se incomodar com as aspirações e manobras, mas saber que é um mal necessário. É ver picadas e mais picadas para exames e não respirar enquanto o resultado não aparece. É chegar ao hospital com o estômago em cambalhotas com medo do que vai ouvir do pediatra.
Para ser mãe de UTI tem que virar pedinte e mendigar todo dia uma boa notícia. Mesmo que seja a bendita palavrinha “estável” - significa que não melhorou, - mas também não piorou.
E não se esquecer de agradecer o cocô e o xixi de cada dia. Sinal de que não tem infecção.
Mãe de Prematuro também tem rotina. UTI-casa-UTI de segunda a segunda. Sem descanso. E como é possível descansar?
Para ser mãe de Prematuro é preciso muita fé.
Porque na hora do desespero é você e Deus. É joelho no chão do banheiro da UTI para pedir milagre, ou pedir que acabe o sofrimento. Haja fé. E só com fé.
É ser a Rainha da Impotência, por ver o sofrimento e a dor do seu bebê e simplesmente não poder fazer nada. Só confiar.
É bater papo com seu filho através da incubadora. E ter lágrima escorrendo pelo rosto todo dia por não poder sentir seu cheirinho e beijar seus cabelos.
Mas, ser mãe de prematuro é superação, é ter história para contar. É entender de um monte de doenças que ninguém nem imagina que existe.
É contar o tempo de um jeito diferente. Idade cronológica e idade corrigida. É difícil de entender.
É sair da UTI com festa e palmas. E deixar por lá amigos eternos e preciosos.
Ser mãe de Prematuro é ter medo do vento, da bronquiolite, do inverno e do hospital.
Toda mãe é um ser guerreiro por natureza. Mas a Mãe de Prematuro, precisa ser guerreira em dobro. E isso nos difere e ao mesmo tempo nos iguala.
Lutadoras, perseverantes, resilientes, frágeis a ponto de desabar a qualquer momento, mas com uma força absurda. Uma força que talvez venha de um útero vazio antes do tempo.
Assim são as mães dos bebês que nascem antes..." Autor desconhecido.



A mamãe Suellen conclui a postagem assim:

"Este ano ganhei o maior presente da minha vida. Ela nasceu antes do tempo com 32 semanas e 1.435 kg ficou na UTI Neonatal por 32 dias. Aprendi muito com tudo, principalmente a ter muita fé, o texto acima resume exatamente tudo. Gostaria de dedicar esta postagem a todas as mães que estão passando por isso, conversem muito com seu bebê, falando do carinho que sentem por ele, do quanto é bom estar com ele, que estão passando por momentos difíceis mas que juntos vencerão, que sentem muita saudade quando estão longe, e que logo estarão em casa juntos. Não tenha medo ou vergonha de chorar na frente dele, pois junto com o choro vai todo o amor, o carinho e a esperança que ela precisa sentir para ter força para continuar. Tenham muito orgulho dele pois com certeza ele é muito forte e está lutando pela vida.
Hoje minha bebê está com 2 meses, crescendo, engordando e se desenvolvendo a cada dia.
Nunca perca sua fé, por mais difícil e obscuro que pareça ser o caminho. Tudo dará certo!
Feliz 2017 a todas!"